8b50e3_2945f1d02824434a9a40ee35fd8a4625

Ditadura Nunca Mais!

O dia 31 de março de 1964 marca um triste capítulo da história brasileira. Nesse dia as Forças Armadas romperam, pela força, o estatuto da democracia e tomaram partido pelo estrangulamento dos movimentos sociais, violou-se a institucionalidade do Brasil para instalar um regime militar-autoritário que subordinou a defesa nacional brasileira ao combate a um “inimigo interno” arbitrariamente definido. Durante esse período suspenderam-se as atividades políticas normais para dar lugar a um regime de exceção. A constituição nacional foi abolida, a informação cerceada e a comunicação censurada. A tortura, a morte e os desaparecimentos e outras práticas abomináveis passaram a ser a conduta cotidiana dos carrascos do regime. As decisões nacionais foram sequestradas pelos militares que governaram em nome da corporação. A memória desses tempos sombrios está consolidada nos relatórios da Comissão Nacional da Verdade negados pelos militares ainda hoje.

O Grupo de Estudos de Defesa e Segurança Internacional, desde a sua fundação, tem na construção da democracia e dos direitos humanos seus compromissos pétreos e a integração regional como horizonte. Por isso, desenvolvemos estudos que ensejam a autonomia estratégica brasileira, para que o Brasil possa decidir soberanamente o seu destino, sem imperar sobre seus vizinhos como expressa a Estratégia de Defesa Nacional. Por isso neste dia em que lembramos com luto o momento em que os militares quebraram a cadeia de comando para atentar contra a nação, queremos manifestar nossa alerta para que nunca mais se repitam tais crimes de Lesa-Pátria.

Diante da convergência atual das crises econômica, sanitária, moral e política, quando saídas autoritárias começam a ser aventadas no Brasil, o GEDES adverte que não há saída fora da democracia.

compartilhe este post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Deixe um comentário